Autodeterminação dos povos e integração latino-americana por meio da valorização da cultura e da democratização da comunicação.

Share
→ Conheça o Soyloco
17 de julho de 2009 —

Racismo na Europa mata mais um muçulmano

www.nazen.tk

A notícia abaixo ilustra o conflito existente na europa onde sobra truculência e falta respeito e razão na questão dos imigrantes. A xenofobia é elemento presente em diversass sociedades européias e se acentua em períodos de crise econômica. Seja baseado em credo, raça ou origem percebe-se mais acentuadamente esse preconceito quanto a cidadãos ilegais ou de condição social mais humilde, porém os muçulmanos tem sido o alvo predileto embasado nos falsos motivos da ‘guerra contra o terror’.

leia e opine!’

_________________________________________________________________
publicado em 07/07/2009 -  da Folha de São Paulo    (leia)

Morte de egípcia a punhalada dentro de tribunal alemão causa protestos no Egito

da Efe, no Cairo

O assassinato da egípcia Marwa al Cherbini, em 1º de junho, em um tribunal alemão despertou protestos no país africano, que exige saber os motivos para o crime.

Durante uma audiência na cidade de Dresden, Alex W., 28, um cidadão alemão de origem russa, apunhalou a mulher que o acusava de tê-la ofendido, informou a polícia. No momento do crime, não havia seguranças na sala, porque o caso era considerado leve.

O homem estava sendo julgado por insultar a vítima durante uma discussão em um parquinho infantil no ano passado, informaram jornais alemães. Ela morreu pouco depois por consequência dos ferimentos, e várias pessoas ficaram feridas até que o homem foi rendido por seguranças do tribunal que foram chamados ao local.

“Por que mataram Marwa?”, pergunta Mohamed, 16, que acompanhou a mobilização em frente à embaixada da Alemanha no Cairo. “Estamos aqui para perguntar porque mataram Marwa e para levantar nossa voz para aqueles na Alemanha que pensam que somos más pessoas porque somos muçulmanos.”

Nesta segunda-feira, na cidade egípcia de Alexandria, dezenas de milhares de pessoas foram ao funeral da mulher, uma farmacêutica de 32 anos. Ela estava grávida de três meses quando foi assassinada.

Tareq, irmão da vítima, acusou a delegação diplomática na Alemanha de oferecer uma resposta “muito frágil” e de ter apoiado o assassinato.

“Esta é a ocasião na qual podemos afirmar que eles [ocidentais] são os terroristas e que a violência chegou de sua parte primeiro”, disse.

marwa al cherbini protesto Racismo na Europa mata mais um muçulmano

Protesto de mulheres no Egito contra o assassinato de Marwa Al Cherbini em corte da Alemanha

A imprensa egípcia deu destaque ao funeral.

Nesta terça-feira, a comissão de Assuntos Árabes do Parlamento egípcio pediu às organização de direitos humanos que atuem contra “este penoso acontecimento na Alemanha no qual Marwa morreu devido a seu credo muçulmano e véu”, diz um comunicado.

A comissão pediu ainda que o governo alemão promova uma “política de convivência, tolerância e diálogo entre as raças do mundo.”

Segundo os sites dos jornais “Frankfurter Allgemeine Zeitung” e “Süddeutsche Zeitung”, o réu estava sendo acusado de ter chamado a vítima, que seria egípcia, de “terrorista”, em meio a uma discussão pelo uso de um balanço entre a criança que ele acompanhava –filha de sua irmã– e o filho dela.

Ele foi condenado a uma multa no final do ano passado, e a audiência era de apelação.

Tags da rede Soyloco